403 - 31 de Janeiro de 1891

Primeira Bandeira Republicana
(Esta foi a Bandeira icada no dia 31 de Janeiro no edifício da Camara Municipal do Porto. Pertencia ao Centro democrático Federal 15 de Novembro do Partido Republicano)
31 de Janeiro a par de outras datas importantes da História de Portugal, tem passado quase em branco.
Tudo começou no dia 11 de Janeiro, quando do ultimato britânico de 1890, exigindo a Portugal a retirada das forças militares do território compreendido entre as colónias de Moçambique e Angola, que Portugal tinha reclamado na Conferência de Berlim e que veio a ficar conhecido como "Mapa Cor-de-Rosa".
Baseava-se aquele ultimato, num incidente registado entre os portugueses e uma tribo do alto Zambeze.
Portugal, na pessoa de D. Carlos, estava pronto a ceder, não era essa porém a visão dos Republicanos que viram essa cedência como uma humilhação nacional e acusaram o governo e o rei como responsáveis.
No dia 31 de Janeiro de 1891, saem do Quartel sito no Porto o Batalhão de Caçadores, a que se juntam o Regimento de Infantaria 10 e uma Companhia da Guarda Fiscal, dirigem-se ao Campo de Santo Ovidio, hoje com o nome de Praça da Republica, descem depois a Rua do Almada, e concentram-se frente ao antigo edifício da Câmara Municipal do Porto, onde Alves da Veiga proclama a Implantação da Republica.
No mastro do frontão do edifício é hasteada uma bandeira verde e vermelha, não a que hoje simboliza a Republica, a bandeira que então se usou pertencia a um grupo designado por Centro Democrático Federal 15 de Novembro, do Partido Republicano. O povo logo aderiu saindo à rua no apoio aqueles militares que seguem para a Praça da Batalha, no intuito de tomar de assalto a estação dos Correios e Telégrafos.
No entanto um forte destacamento da Guarda Municipal, posicionada na escadaria da igreja de Santo Ildefonso, viria pôr termo a esta revolta soltando uma cerrada descarga de fuzilaria. Morreram neste tiroteio 12 pessoas entre militares e civis, 40 terão ficado gravemente feridos.
Na sequência destes acontecimentos, foram presos e julgados além de civis 505 militares dos quais, 250 terão sido condenados a degredo em África.
Depois de efectivamente implantada e roclamada a Republica em 5 de Outubro de 1910, foi a Rua de Santo António rebaptizada de Rua 31 de Janeiro, data em que se comemora a primeiras das três revoltas que se seguiriam até 1910.
Nota: A bandeira utilizada nestes acontecimentos ´faz hoje parte do património do Museu Soares dos Reis

2 comentários:

O Guardião disse...

Com quase 100 anos era bom meditar sobre os ideais republicanos.
Cumps

Sara Pinho disse...

Boa noite!

Encontro-me a realizar um trabalho sobre a 1º Republica para o qual procedi a leitura do seu texto, contudo gostaria de saber em que se bazeou para a sua elaboração, ou seja, fontes de informação.

Poderá fornecer-me?


Agradecia uma reposta pela sua parte para tal aqui tem o meu email: sara_pinho_653@hotmail.com.


Obrigado pela atenção,



Sara Pinho.



p.s: adorei o texto ;)