278 - Escola em Monte Abraão - tecto cai 19 meses após inauguração

Ainda há dias, (no post 276) falava eu, sobre a extrema necessidade de fiscalização no que toca à qualidade dos materiais usados na construção civil, mesmo em obras novas e a inexistente manutenção dos edifícios, tanto particulares, como os do património do Estado e eis senão quando, ouço agora a noticia do desabamento do tecto da escola nº. 1 de Monte Abraão.
Não é que estivesse à espera que este ou outro acidente da mesma natureza acontecesse mas, na verdade e quem tiver memória há-de lembrar-se como fui contra, na Assembleia de Freguesia, sobre o local escolhido para a construção desta escola.
1º - O espaço era diminuto para uma escola com probablidade de acolher cerca de 300 crianças, uma vez que, a outra escola existente na zona, a EB nº. 1 de Queluz situada na Rua Ruy Gameiro construção de 1920, além de desadequada face às necessidades do ensino de hoje, ás maleitas do tempo de uso, por população discente excessiva para o espaço funcional da escola, esta completamente degredada.
A escola à qual agora ruiu o tecto, não foi projectada de raiz, para o espaço onde foi construída, tendo a planta/projecto, sido cedida por uma outra Freguesia do Concelho, que agora não me lembro qual, mas que será fácil descobrir através das actas da Assembleia, do mandato anterior.
Ora existindo na Freguesia um espaço com todas as condições para a implementação de um parque escolar (os terrenos do denominado Bairro dos desalojadoa) doado à CMS no final dos anos 60 do sec. passado para fins sociais, o espaço escolhido para esta nova escola, diminuto, apertado entre prédios, depósitos de água e o mais grave por um depósito de gás, em mau estado de conservação como pode facilmente ser constatado in loco, não foi de facto a melhor opção. (clicar para abrir as imagens)

5 comentários:

Ludo Rex disse...

Só mesmo neste nosso país...
Kisses e Bom Fim de Semana

XICA disse...

Susete a segunda foto não se consegue abrir.
Um terrenozito daqueles que tu dizes ter sido doado para fins sociais, num local como aquele já viste o que se pode fazer ali, não me refiro, claro está, a qualquer equipamento social de interesse publico, mas empreendimentos de luxo talvez, olha que a terra não nasce e o capitalismo é sôfrego.
Jinhos grandes

Susete Evaristo disse...

Pois é Ludo esperemos que como ainda está no prazo de garantia (5 anos) ue o construtor e a CMS arranjem uma boa justificação e rapidamente efectuem as obras necessárias com vista à abertura da escola e que o 3º período escolar não vá por água abaixo.

Susete Evaristo disse...

É verdade Xica não sei o que se passa é a segunda vez que isto me acontece postei a foto várias vezes e de todas elas eu própria não consegui abrir por isso resolvi deixar mesmo assim.
De qualquer forma percebe-se bem os locais legendados que são a localização da escola onde aconteceu o incidente; as estruturas redondas são os depósitois de agua; e o que está localizado mais ao cima da foto o depósito do gás. Este é uma autentica armadilha uma vez como não está convenientemente vedado, e não havendo nas imediações um espaço próprio vão para ali brincar. Além de perigoso exactamente por ser o que é, está desnivelado (lages encavalitadas) ferros soltos etc.
As crianças não se apercebem e os adultos irão gritar "aqui del rei" quando alguma coisa acontecer.
Entretanto a CMS e a Empresa concessionária nada fazem.

Susete Evaristo disse...

Já agora o espaço contornado a vermelho na segunda foto e designado por "Bairro dos Desalojados" foi um espaço doado à CMS por um benemérito para alí serem instaladas casas pré-fabricadas, quando das grandes cheias que aconteceram nos anos 60 posteriormente seriam ali criadas infraestruturas e equipamentos sociais,
As casas existiram até há uns anos atrás, quando os últimos habitantes daquelas casas foram alojados em Bairros Sociais.
A vontade do doador até hoje não foi satisfeita as razões desconhecem-se. Registe-se que não existem na Freguesia, nem infantários nem Lares de 3ª. idade, de cariz social