266 - Falta de respeito pelos utentes da linha de Sintra

Ou a Odisseia para chegar a casa!
Hoje dia 6 de Abril de 2009 - Saio do trabalho por volta das 18,20h, pelas 18,47h estou na estação de Entre-Campos, subo as escadas ao som da voz off anunciando, (não necessariamente com estas palavras):
Senhores passageiros o combóio CP-Lisboa procedente da estação do Oriente com destino a Mira-Sintra/Meleças que deveria entrar na linha número um, encontra-se com 17m de atrazo; 5 minutos depois a mesma lenga-lenga mas agora informando que serão uns 47 minutos de atrazo; mais cinco minutos e já será de 27 minutos o atrazo, mais um pouco e passa para uns 23minutos enfim... às tantas fartei-me. Saí da gare com destino à outra estação da linha de Sintra: Rossio.
Lá chegada, deparo com um cenário ainda pior: O combóio marcado para as 19,11h encontrava-se na linha, superlotado. Eram 19,31h! O que faço? Bom, vamos ver se encontro um lugarzinho, em pé evidentemente. Na segunda carruagem encontrei e por isso entrei.
Às 19,33h o combóio arranca mas, ao que me disseram desde as 17,30h que havia problemas na linha.
Esqueço de contar que, na Estação do Rossio está a ser testada a nova modalidade de acesso às plataformas de embarque que não foi interrompida mesmo com a situação caótica que se apresenta.
Chegamos, após alguns soluços pelo meio, à estação da Amadora, são 20,09h, entretanto as portas do combóio abrem e fecham, trazendo de cada vez que fecham, a esperança de que o combóio começe a rolar nos carris.
Falso alarme, muito falso alarme. Informações sobre o que está a contecer ou a que horas poderá o combóio continuar a marcha, está quieto nicles batatóides, (como diria o meu neto).
Às 20, 46 chego a Queluz-Belas e não aguento mais (foram 3 horas em pé) saio do combóio, pois aqui posso apanhar um autocarro para casa, o que acontece às 21,05h.
Ao passar na estação de Monte Abraão, lá esta ele (o combóio de sintra) em mais um compasso de espera.
A fila nos taxis é enorme pois aquele hora os autocarros da LT ou são de hora a hora, ou pura e simplesmente já não há como é o caso do 149 para Mira-Sintra, cujo último passa naquela estação às 20,20h.
Tudo isto seria irrelevante não fosse o caso de, durante todo este tempo não ter sido dada qualquer explicação aos passageiros e em cada estação os mesmos não terem sido informados do previsivel compasso de espera, dando assim a ilusão a cada toque de fecho de portas, que se iria continuar a viagem.
Os utentes/passageiros da CP não são tratados com a dignidade a que tem direito, não obstante o pagamento do serviço de transporte ser prontamente pago a cada inicio do mês.
Ora não será esta situação um caso para a ASAE actuar?!

6 comentários:

luís r disse...

Normalmente não utilizo a CP a essa hora, mas quando utilizo, já reparei que os comboios nunca chegam a horas...

Com a quadriplicação da linha não entendo o motivo de tantos atrasos.

Susete Evaristo disse...

Olá Luis r
O problema não são os atrazos, até porque os utentes da linha de Sintra já tem "calo" no que diz respeito à falta de cumprimento dos horários, não obstante na informação que nos é dada ler nos placards da CP a mesma é do cumprimento de 98 e 99% o que é falso, como toda a gente sabe.
Agora o que me deixa deveras indignada é a falta de informação atempada para que cada um de nós possa em tempo útil organizar a sua vida procurando alternativas de transporte através do Metro ou dos autocarros.
Neste caso bem flagrante pois de cada vez que a informação do atraso era dada (e isto em Entre-Campos já que no Rossio não havia qualquer informação)os minutos variavam de 17 a 47 depois 23 e após a 27.

samuel disse...

Será porque os gestores dessas empresas estão lá para "se" servirem do público?

Abreijos.

Susete Evaristo disse...

Se dúvidas ouvesse, Samuel, o comportamento que a empresa tem para com os seus utentes dissipá-las-ia todas.
Sim porque as ordem do que deve ser feito vem de cima, ou, será o contrário?!
Breijos e até sábado

Hugo Nicolau disse...

Concordo plenamente com a sua opinião.
Estive na estação do rossio nesse dia ás por volta das 20h30 e tudo estava um caos.
Fui acompanhar 1 familiar que iria apanhar o comboio, e vi a estação cheia e muita gente exaltada. Pessoas a bater no vidro das bilhetes a exigir explicações e nada.
Apenas os seguranças diziam que havia uma avaria numa resistência eléctrica, na catenária entre o Cacém e Rio de Mouro.

Eu percebo que problemas técnicos acontecem, e como é óbvio, devem ser reparados, e nem sempre é rápido e fácil a sua reparação, no entanto as pessoas tem de ser informadas.

A pergunta que eu fiz aos seguranças na estação do rossio, foi porque é que não informavam as pessoas pelo sistema sonoro da estação? Porque é que não era disponibilizada informação nos painéis electrónicos?

A falta de respeito é total, e nos últimos 3 meses já fiz 3 reclamações para a CP e para o IMTT, sempre que achei que o serviço não era cumprido devidamente, pois a entidade responsável pelos transportes é o IMTT e não a ASAE.

Susete Evaristo disse...

Caro Hugo Nicolau, certamente como eu, muita gente nem perceberá o porquê de que tendo sido um problema numa cantonária entre Cacém e Rio de Mouro, não eram efectuadosos combóios até à estação de Monte Abraão, de onde muitas pessoas poderiam tomar o rumo de casa, através dos vários autocarros que servem aquela estação.Por outro lado e quem conhece aquela estação sabe muito bem que há espaço para o estacionamento de vários combóios daí que não se compreenda a razão daquele atrazo.
No entanto as estatisticas de cumprimento de horários é nosplacards, referenciada sempre como de 99%.
Estas situações não abonam nem a favor da CP nem de quem defende a utilizaçãodo transporte público.
Os meus cumprimentos