209 - ADSE - Vamos lá ver se a gente se entende

Perante as notícias vindas hoje a público não posso, nem quero deixar de contribuir para que seja reposta a verdade dos factos, sempre que se fala dos Trabalhadores da Administração Pública.
Hoje, em todos os jornais saiu a notícia da intenção do (des)governo, lançar mais uma acha na fogueira das responsabilidades, dos aposentados da Função Pública, passando estes, desde que ganhem mais de 611,00 euros, a descontar na sua pensão, para a ADSE, 1% vezes 14 meses, que o mesmo é dizer que o desconto vai incidir também sobre o subsidio de férias e de natal.
É injusto, não há a mínima dúvida, pois mais uma vez vem este (des)governo linchar e defaudar as finanças daqueles que mais precisam, os mais velhos que já contribuiram com uma vida inteira de trabalho.
Porém, há que ter em atenção a forma como se noticiam os factos.
Quando os jornais por comparação, dizem que os trabalhadores no activo só descontam sobre doze meses, é verdade mas doze meses a 1,5%. (um e meio por cento)
Pela Lei 53-D/2006 de 29 de Dezembro, foram os trabalhadores da FP, no activo, obrigados a descontar no seu salário o valor de 1,5% para a ADSE, com efeitos a 1 de Janeiro de 2007.
Não é muito dirão alguns, pois é, mas há aqui uma clara violação à norma constitucional que diz que todos os Portugueses são iguais em direitos e deveres.
E porquê? Simplesmente porque em Portugal todos os trabalhadores descontam para a Segurança Social 11% do seu salário e os Funcionários do Estado, na soma das suas contribuições para aposentação e saúde, ou seja, para a sua segurança social, descontam 11,5%.
Como?
Então vejamos, os descontos anuais dos trabalhadores no activo são: 10% para a Caixa geral de Aposentações x 14 meses + 1,5% para a ADSE x 12 meses.
Mesmo que descontassem para a ADSE, 1% x 14 meses ainda pagariam menos 4% do que o montante que pagam no total do ano.
De salientar que a entidade patronal, o Estado, só a partir de há bem pouco tempo começou, como qualquer patrão a efectuar também os descontos que lhes compete.
Sendo assim, estão os Trabalhadores da Administração Pública prejudicados em relação aos demais trabalhadores portugueses.

9 comentários:

XICA disse...

É exactamente por tudo isto que eu aqui venho, muito em cima do acontecimento e sempre importante a informação prestada.

Susete Evaristo disse...

É que nos meios usuais a informação é dada a conta-gotas ou é distorcida. Esta é uma das minhas lutas informar ponto por ponto e pondo os pontos nos iiiiiiiiiis

Zé Povinho disse...

Uma meia-verdade é sempre uma grande mentira. Bem observado e explicado.
Abraço do Zé

Susete Evaristo disse...

Podes crer Zé. E é com essas meias verdades e muitas mentiras à mistura, que tem colocado os portugueses contra os trabalhadores da Administração Pública, sem sequer esclarecer toda a população trabalhadora que sendo estes (FP) as bitolas, ou melhor as cobaias das leis laborais, mais dia, menos dia as mesmas leis, são aplicadas à generalidade dos trabalhadores.
E nunca é para melhorar as condições de trabalho mas para explorar homens e mulheres até ao tutano.

O Atento disse...

Deves ser mesmo a típica e manhosa funcionária pública: roubam o estado a torto e a direito, ou seja, corruptos com todas as letras pois ganham e não fazem nada e depois ainda reclamam e cospem no prato onde comem!

qto à adse, que devia e vai ser extinta qdo portugal for um país justo e democrático (agora há portugueses de 1ª(adse) e de 2ª(sns) e os malandros e malandras q agora estão na reforma e nada fazem (mas foi sempre assim a sua vida) nunca pagaram contribuições suficientes para pagar os privilégiuos da saude. e agora vao pagar uma migalha e ainda reclamam... espero q deus vos castigue a todos com uma praga horrível, se não for aqui, noutro local!

Susete Evaristo disse...

"o atento" que me chama funcionária manhosa e que não tem sequer os tomates no sitio para se identificar, deve ser um calhorda frustado até à medula, que fala por falar sem ter o mínimo conhecimento do que é trabalhar da Administração Pública.
Se tivesses de um lado o público a reclamar os seus direitos e que qualquer funcionário gostaria de resolver atempadamente e de outros chefes que devido à burucracia emperrom processos, para desespero dos seus subordinados, o que farias badameco? No meio disto tudo são aqueles que dão a cara que sofrem as reclamações, as injurias e as más educações do público. Ora contra isso só podem criar uma carapaça, envolverem-se numa grande dose de pachorra, quando não teriam de passar à reforma muito mais cedo com sintomas iguais aos dos veteranos de guerra.
Tenha uma boa tarde e procure saber das coisas antes de dar uma prova da sua ignorância. Seu ressabiado!
De qualquer forma agradeço a oportunidade que me deu, de mais uma vez eu poder pôr os pontos nos iiiiissss!

Susete Evaristo disse...

Mais uma coisinha:
Nunca desejei mal a ninguém até porque não é esse o meu lema de vida porém tudo o que me desejarem de bom ao mau que seja retribuido em dobro se não for por Deus que o seja pelo Diabo.

XICA disse...

Ora aqui está um amigo muito atento a estas questões do funcionalisnmo público, amigo a casa não é minha mas apetece-me dar-lhe uma achega ao que a Susete já disse, também o facto de sermos amigas me dá o direito de meter a colherada.
Nós os improdutivos, a corja que será castigada, mas luta por aquilo em que acredita e foi por conta da luta desta gente que você ganhou o país que lhe permitiu ter os tais direitos, ainda que de segunda como refere e merece, e na minha modesta opinião, até é demasiado para aquilo que você fez por ter, pois não foi certamente com individuos como você, que a corja, essa dos direitos de primeira, os alcançou, porque com individuos do seu calibre, nós teriamos ficado eternamente a beijar mãos, pés e muitas vezes até o cu de um capitalismo que de direitos só entende os seus.
Venha daí connosco amigo, é uma luta muito grande onde cabem sempre mais.

Susete Evaristo disse...

Amiga Xica tanto nestas como em qualquer outra questão estás à vontade para meter a tua colherada.
Aliás nunca é demais as achegas à informação que todos tem direito e que possa trazer luz sobre os assuntos a quem só papagueia o que ouve papaguear.
Vamos ver se o assunto que hoje vou abordar também tem est tipo de argumentação. Penso que não.
Beijinhos