154 - O Forte de S. Bruno

O Forte de São Bruno de Caxias, assim designado desde a sua construção por se situar próximo do Convento de Laveiras dos frades cartuxos de São Bruno, localiza-se na confluência da ribeira de Barcarena com o rio Tejo, freguesia de Caxias, Concelho de Oeiras. Foi erguido após a Restauração da Independência, fazendo parte da 1º linha de fortificações marítimas erguidas à época entre o Cabo da Roca e a Torre de Belém, cooperando com o Forte de S. Julião da Barra, na defesa da cidade de Lisboa, assim como os fortes de Nossa Senhora do Vale, sito à sua esquerda, e o de Nossa Senhora de Porto Salvo, sito à sua direita.



De instalações reduzidas (3 salas e WC) e embora tenha em tempos servido de prisão não deve ser confundido com o Forte-Prisão de Caxias onde antes do 25 de Abril se encontravam os presos políticos.



No início do século XX, após obras de adaptação, foi finalmente cedido à Guarda Fiscal, que o ocupou até 1946, quando ali se instalou a Mocidade Portuguesa.
Data deste período a primeira intervenção de conservação e restauro promovida pela Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN, 1952-1958).
Curiosamente também o Forte de Nossa Senhora de Porto salvo esteve desde 1943 e até 1974 cedido à Legião Portiguesa para a instalação de um pavilhão de regatas de vela.



O Forte de S. Bruno activado e desactivado durante os sec. XVIII e XIX, encontra-se hoje na posse da Liga dos Amigos dos Castelos que ali tem a sua Sede de Honra, tendo comemorado 25 anos, no passado dia 29 de Julho com a inauguração de uma exposição para a qual fui convidada mas onde por razões de ordem familiar não me foi possível estar presente.









De acordo com a wikipedia ensiclopédia livre o Forte de S. Bruno tem as seguintes características:
Pequena fortificação marítima, abaluartada, com planta poligonal estrelada irregular (orgânica), em estilo barroco. Pelo lado de terra, abre-se o portão monumental, de arco pleno sobre pilastras, encimado por placa epigráfica de pedra datada de 1647, com as armas de Portugal. O núcleo central do forte apresenta planta quadrangular, com dependências e duas baterias para tiro rasante pelo lado do mar. Acima das dependências, em terraço lajeado, abre-se a bateria elevada.
Dois baluartes defendem o lado de terra e o portão, apresentando nos vértices guaritas quadrangulares encimadas por cúpulas piramidais.


















7 comentários:

XICA disse...

Ao manancial de conhecimentos que tu constituis, já nos habituaste, agora a KODAQUISTA, esta éi novidade menina, e que beim que te safas! Escuta, belas fotos, bom texto, tô gostando de viajar pelo nosso país através dos teus olhos, bom intercambio cultural - eu daqui mostro-te o que posso e tu daí fazes o mesmo, achei uma ideia fantástica.

Susete Evaristo disse...

OLá amiga. Como podes calcular a primeira das fotos do Forte de S. Bruno não é minha, fui buscá-la ao Maps.live.com, mas as outras são.
Por mero acaso vi que o portão de entrada estava aberto e não me fiz rogada, entrei. Fui muito bem recebida por quem lá estava e mais fui convidada para a inauguração de uma exposição da Liga dos Amigos dos Castelos, que alí tem a sua Sede de Honra. Depois dou noticias do evento.

XICA disse...

Susete acreditas que vim de prepósito ver o teu template, depois do que li no da Mar. É que como tens imensa côr nesta coisa nunca tinha reparado no fundo preto, acreditas?

Susete Evaristo disse...

Pois é amiga já que o branco é o conjunto de todas as cores, no expectro da radiação visível o preto é pelo contrário a ausência de luz e côr, assim sendo achei ser a melhor par dar visibilidade aos meus escritos e fotos, embora um corpo preto absorva toda a radiação ou cores que lhes associemos. E como vês deu resultado nunca tinhas dado por ela!

Susete Evaristo disse...

Esqueci dizer que o verde e o vermelho são a homenagem ao meu país.

O Guardião disse...

Estive ausente durante uns dias, agora tenho que descer por aqui abaixo para me inteirar deste roteiro . As fotografias estão boas e convidam à leitura que só fiz, por enquanto, em diagonal.
Cumps

Susete Evaristo disse...

Então bem vindo Guardião, folgo em saber que te lembraste de me visitar.
Cumprimentos